14.2.12

A vida de um Lavrador

Havia numa cidade pequena, um operário por nome José, que sempre trabalhava na lavoura, onde nunca faltou nada para sustentar seus 10 filhos.
Depois de todos criados, veio a doença na qual o Sr. José ficou em estado de coma, em uma simples cama; sua esposa cuidava com todo carinho, dando-lhe medicação, comida e etc, mas nunca o Sr.José soltava a vóz para dizer o que estava sentindo.
Certo dia este senhor abriu os olhos, chamou pela sua esposa e disse: Maria, reuna todos os nossos filhos perto de mim. Maria ficou muito espantada com o pedido de seu esposo, pois, já fazia anos que ele não falava nada; foi difícil fazer a vontade dele, pois alguns dos filhos já eram casados e não moracam na cidade.
Assim que todos estavam na beira de sua cama, Sr José pediu que fossem no quintal, e que cada um apanhasse uma vara. eles ficaram curiosos ainda, mas, cada um cumpriu sua tarefa trazendo as dez varas. Chegando no quarto, Sr. José, logo pediu para que o filho mais velho juntasse as varas e amarrasse em um feixe com barbante. Assim que ficou pronto o feixe, pediu para que cada um tentasse qubrar o feixe no joelho, começando com o mais velho até o mais novo. Todos tentaram mas não conseguiram fazer a vontade do pai, que com um sorriso pediu para que desamarrassem o feixe, e que cada um pegasse a sua vara e fizesse o mesmo que tinha feito. Assim todos conseguiram quebrar sua varas, e logo o Sr. José pediu, para que todos se unissem e nunca se separassem, pois isso representa o amor em família.
Estas foram a últimas palavras que o Sr. José pronunciou, pois, Deus já estava lhe esperando.

Texto de Antonio Venancio do Amaral

Nenhum comentário:

Postar um comentário