18.4.10

Esclarecendo dúvidas sobre a vacina contra a Gripe A

Fui vacinar contra a gripe suína. Pior que vacinar e ter que ficar esperando mais de meia hora! A galera toda tensa esperando, e sendo chamado um a um! Quando a enfermeira fala o nome da pessoa é como se fossem pra cadeira elétrica! Foi então que chamaram o meu nome (que é??). Entro lá, nem olho o tamanho da agulha! Nem dói na hora, o foda é saber que o vírus mais famoso dos últimos tempos, o H1N1 está sendo injetado no seu organismo. Tá certo que morto, mas quem vai saber! rs... pronto, nem doeu e já fiz minha parte! Não é bem assim, depois de 12 horas da vacina, começa a ZiQuiZiRa GeRaL!!! Uma dor insuportável no braço e parafraseando Fernanda Abreu: "febre 40º"! Mas essa reação varia de pessoa pra pessoa, e se você tiver muita sorte não vai sentir nada! Para acalmar os leitores, vou postar o esclarecimento de algumas dúvidas sobre a vacina! Não acredite em teorias conspiratórias que andam pela Net!
Especialistas tiram dúvidas

1. A vacina H1N1 contém mercúrio — a segunda substância mais perigosa do planeta depois do urânio. O veneno de uma cascavel é menos perigoso que o mercúrio. A substância em outras vacinas está ligada à epidemia de autismo entre crianças.

O que dizem os especialistas: há um derivado do mercúrio na vacina, o timerosal, usado para conservar o medicamento. Como a quantidade é pequena, não há registros de danos ao corpo. O Ministério da Saúde recomenda que pessoas alérgicas à substância consultem um médico. Pesquisas recentes não confirmam associação entre a substância e o autismo.

2. Ela contém esqualeno, uma substância que quando injetada no corpo pode fazer o sistema imunológico humano voltar-se contra si mesmo!
Especialistas: assim como o derivado de mercúrio, o esqualeno é um componente comum em vacinas. Segundo o Ministério da Saúde, ele é um complemento alimentar retirado do fígado do tubarão e não oferece risco para o sistema imunológico.

3. Ela contém células de câncer de animal que pode provocar câncer nas pessoas!
Especialistas: não há esse tipo de células na vacina. Usou-se células animais em vacinas que estão saindo do mercado, como a antirrábica, mas sem nenhuma relação com câncer.

4. O governo federal não está confiante quanto à segurança da vacina H1N1, é por isso que foi dada às indústrias farmacêuticas imunidade contra ações judiciais. Isto significa que se seu filho ou esposa ficar inválido ou morrer por causa da vacina H1N1, você não poderá processar a indústria farmacêutica que fez a vacina.
Especialistas: quando há dúvida sobre uma medicação, ela não é liberada. O Ministério da Saúde não assinou nenhum termo de imunidade judicial com empresas. Elas são responsáveis pelos produtos que fabricam.

5. A entrada no mercado da vacina foi acelerada, o que significa que todos os efeitos colaterais a médio e longo prazo não são conhecidos.

Especialistas: a entrada foi acelerada, mas isso não quer dizer que a vacina não seja segura. A medicação é semelhante à usada na prevenção da gripe comum. A principal diferença é que o vírus morto usado é o do H1N1.

6. Em 1976 o instituto médico afirmou que havia uma situação crítica relativa à gripe suína. As pessoas começaram a morrer ou ficaram inválidas após tomarem a vacina contra a gripe suína.
Especialistas: na ocasião, houve casos de gripe A entre recrutas americanos. Eles tomaram a vacina e, em alguns casos, houve complicações, interrompendo a campanha. O que se ressalta é que a vacina de hoje não é a mesma e não tem registros de problemas até agora.

7. As estatísticas e os fatos estão sendo manipulados para provocar pânico! O número de pessoas que supostamente estão com o H1N1 são somente estimativas, não números reais. Os testes usados para o H1N1 não são aprovados pela FDA (Agência de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos), e esses testes não são confiáveis.
Especialistas: ao contrário, médicos e outros profissionais da saúde tentam amenizar o medo da população, ressaltando que a gripe A é apenas uma variação da gripe comum.

8. De acordo com as declarações dos Centros de Controle de Doenças, Agência de Drogas e Alimentos e da Organização Mundial da Saúde (OMS), o H1N1 é uma doença moderada da qual muitas pessoas se recuperam em uma semana sem medicação.
Especialistas: a maioria das pessoas que adoecem realmente se recuperam bem. A vacinação tenta impedir que os grupos considerados de risco, como as gestantes, tenham prejuízos à saúde, como ocorreu no inverno passado.

11 comentários:

  1. e todo mundo fez aquele alvoroço todo

    midia... --'

    ResponderExcluir
  2. Tem que tomar no dia que vc precisa de uma desculpa para ficar em casa.

    ResponderExcluir
  3. tomei a vacina também e não tive nenhuma reação, a não ser a REAÇÃO DE PROTESTO, pelo fato do governo não ter mandado vacina para todas as idades, pela falta de informação aos usuários do sistema de saúde, na propaganda informa uma coisa e quando chegam nos postos, é outra, por exemplo quanto aos hipertensos, não são todos tipos de hipertensos que têm direito. Enfim, muitas reclamações também elas crianças e adolescentes que não podem tomar de 2 a 19 anos. Para AMENIZAR a situação agora vai ser liberada a vacina para venda nas farmácias populares do brasil, menos mal né!

    ResponderExcluir
  4. Apesar de tudo, ainda tenho um certo receio da vacina, não sei...rs

    Beijinhos

    ---
    www.jehjeh.com

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo post!
    cadeira elétrica foi ótimo.. rsrs
    By:revolucao-teen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. aí Corvo, eu não senti nada...kkkkk

    ResponderExcluir
  7. Jeh,
    A vacina contra Influenza H1N1 é segura. Ela foi devidamente testada. Antes de ser aplicada aqui no Brasil, esta vacina já foi utilizada em mais de 300 milhões de pessoas no Hemisfério Norte, sem efeitos colaterais graves. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os principais efeitos colaterais da vacina são dores de cabeça, nos músculos e articulações e febre. São sintomas leves, que devem durar cerca de dois dias. Em casos mais raros, pode haver reação alérgica.

    Mais informações:
    fernanda.scavacini@saude.gov.br

    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  8. Dedinha,
    A estratégia para enfrentar a segunda onda da Influenza H1N1 não é vacinar toda a população, para conter o vírus. Isso porque não é mais possível conter esta doença. Por isso, a prioridade é vacinar pessoas que façam parte do grupo de risco. Diversos países precisaram comprar vacina. E a indústria não consegue acompanhar a demanda. Principalmente pelo tempo de demora na fabricação da mesma. O Ministério da Saúde do Brasil comprou vacina suficiente para atender aos grupos prioritários.

    A Hipertensão comum não é considerada doença crônica. Logo, não faz parte do grupo de risco. Somente a hipertensão arterial pulmonar é considerada uma doença crônica dentro da prioridade de vacinação da campanha contra Influenza H1N1.

    As crianças maiores de 2 anos, adolescentes e jovens menores de 20 anos não estão no grupo de risco e por isso não serão vacinados. A pessoa que adquiri a doença será devidamente tratada, com a medicação apropriada.

    Nos colocamos à disposição para mais informações:
    fernanda.scavacini@saude.gov.br

    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  9. QUE REMADIO TOMAR SE DEPOIS DA VACINA ESTOU SENDO FEBRIL E DOR NO CORPO TOMO ALGUN REMEDIO

    ResponderExcluir
  10. Anônimo,
    A febre é um efeito colateral previsto. A grande maioria das pessoas que não sente nenhum dos efeitos colaterais. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os principais efeitos colaterais da vacina são dores decabeça, nos músculos e articulações e febre. São sintomas leves, que devem durar cerca de dois dias. Em casos muito raros, pode haver reação alérgica.

    A vacina é segura, necessária e eficiente na sua missão de proteger a população contra o vírus Influenza H1N1.O que existe na internet são boatos e teorias que não são verdadeiros

    Mais informações:
    fernanda.scavacini@saude.gov.br

    Atenciosamente,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  11. Não é bem assim! tem reações fortes como pressão alta repentina, febre alta, dores no corpo, aumento de secreção na face, dores no figado etc...conheço algumas pessoas que trabalham na saúde que não querem tomar a vacina exatamente por ter conhecimento dos efeitos colaterais que esta vacina vem causando.

    ResponderExcluir