9.3.10

CQC 2010

"Estamos pisando em uma casca de banana perigosa"
Assim Marcelo Tas definiu os desafios do terceiro ano do CQC

Por Mariana Albanese

Eles se adoram! Esta é a primeira sentença que nos vêm à cabeça quando os três apresentadores e os cinco repórteres do CQC estão juntos no mesmo ambiente. De volta ao trabalho, eles reuniram a imprensa no estúdio do programa, na TV Bandeirantes, em São Paulo, para apresentarem o novo cenário e as novidades da terceira temporada, que começa em 15 de março.
O encontro, que aconteceu na noite de ontem (8/3/2010), rendeu um papo animadíssimo com a trupe formada por Marcelo Tas, Rafinha Bastos, Marco Luque, Rafael Cortez, Felipe Andreoli, Oscar Filho, Danilo Gentili e Mônica Iozzi. Eles literalmente desfilaram seu talento para os jornalistas presentes, sendo apresentados por Tas como verdadeiras misses. ''A rainha de bateria do CQC, Rafael Cortez!'', anunciou em uma das entradas.
''Estão anotando tudo nos caderninhos?'', perguntou Marco Luque. Anotamos. Então vamos às novidades.

Soninha depiladora Suplicy garçom?
Um dos novos quadros do CQC 2010 será o Trabalho Forçado, em que personalidades assumirão por um dia empregos "proletários". Para desespero dos clientes, um dos primeiros a participar foi o Senador Eduardo Suplicy, que trabalhou como garçom. Já Soninha Francine, apresentadora de TV e sub-prefeita da da Lapa, em São Paulo, atacará como depiladora. Curiosidade lembrada por Marcelo Tas: "Depois descobrimos que ela nunca se depilou".
"Perceberam que eu tenho mais talento que ele". Essa foi a justificativa de Danilo Gentili assumir o lugar de Rafinha Bastos no quadro "Proteste Já". Rafinha entrou na brincadeira, concordando, para depois explicar que assumirá um novo programa aos domingos na Band, chamado A Liga.
Gentili também encara o "Cidadão Em Ação", que no primeiro programa mostrará a reação das pessoas a um suposto motorista de van escolar, que entra em um bar e bebe cachaça.
Outro quadro é o "Marco Luque Responde". "Eu não tive muito apoio do programa, da produção, mas eu fiz com minhas próprias mãos na minha casa, com minha webcam", brincou o apresentador. No quadro ele responderá a dúvidas enviadas a ele, como por exemplo: "Por que os egípcios construíram as pirâmides?", que teve como resposta: "Para se esconderem dos dinossauros...". Sobre matérias na rua, Luque disse que só em último caso faz externas: "Quando está todo mundo ocupado, aí me mandam :'Vai lá falar com o presida, velho'', se referindo à vez em que o Presidente Lula o chamou pelo nome.

Tudo branco
Em oposição ao cenário de tons escuros das temporadas passadas, o CQC chega seguindo a tendência 3D e todo branco, o que permite a visualização do telão atrás dos apresentadores e um maior contraste com seus ternos pretos. No começo Tas desconfiou da nova configuração de cores: "mas hoje fizemos um teste de vídeo e ficou sensacional".

Criatividade renovada
''Estamos pisando em uma casca de banana perigosa'': é assim que Marcelo Tas define a entrada no terceiro ano do programa, que abrange Copa do Mundo e eleições. A pressão por manter o nível de criatividade vem deles mesmos: ''Não podemos nos descuidar, temos que continuar surpreendendo'', reflete, usando a palavra ''tesão'' para definir o que os move. Andreoli é direto: ''Nem sempre as matérias são para fazer graça. Vejo o CQC também como um jornal, que informa. Temos que ver o potencial de cada pauta, mesmo as que se repetem, como casamentos e lançamento da PLAYBOY''. Oscar Filho resume: ''Se acharmos já estamos em um patamar legal, nos damos mal''.


Fonte:contigo.abril.com.br/noticia/estamos-pisando-casca-banana-perigosa-marcelo-tas-cqc-538979.shtml?ft=0p

Nenhum comentário:

Postar um comentário