20.10.09

Berlusconi provoca ira feminista incomum na Itália

da Reuters, em Roma

A declaração de Silvio Berlusconi sobre a falta de beleza de uma rival política provocou uma rara demonstração pública de milhares de mulheres italianas, que até agora se mantiveram em silêncio sobre os escândalos sexuais do primeiro-ministro. Cerca de 97 mil mulheres assinaram o manifesto "Mulheres ofendidas pelo premiê", depois que Berlusconi disse à senadora da esquerda Rosy Bindi que ela era "mais bonita do que inteligente", em um ataque tanto à sua aparência quanto a seu cérebro. Desde então, duplicaram páginas no Facebook oferecendo solidariedade, protestos foram feitos em cidades como Reggio Emilia, enquanto a resposta de Bindi --"não sou uma mulher à sua disposição"-- se tornou um slogan das manifestações, sendo inclusive estampada em camisetas e cartazes.
"Alguém diga a Berlusconi que ele não é nenhum George Clooney", disse a senadora de centro Patrizia Bugnano, chamando o premiê de "chauvinista".
"É ofensivo que ele sempre se refira a mulheres em termos estéticos".
A campanha está sendo publicada pelo jornal La Repubblica e atrai apoio da esquerda. É um raro exemplo de uma iniciativa feminista contra Berlusconi no país.
Bindi diz que é um sinal de que um "novo feminismo" está ganhando raízes na Itália, onde declarações de Berlusconi, como as mulheres serem "os presentes mais lindos de Deus para os homens" e a Itália ser a "pátria dos grandes amantes, de Casanovas e playboys", costumam ser recebidas com indiferença. Mesmo assim os pesquisadores dizem que sem um rival político credível para desafiá-lo, o protesto feminista pouco fará para diminuir o apoio de Berlusconi entre as eleitoras conservadoras --mesmo que elas estejam menos entusiasmadas com ele do que antes.

"Não somos suas concubinas"

Em um país onde poucos hesitaram quando a ex-showgirl Mara Carfagna foi nomeada para o cargo de ministra da Igualdade, as declarações do premiê provocaram poucos protestos.
Mas o insulto recente a Bindi, feito durante um programa noturno na TV, inesperadamente abriu a ira das mulheres.
Mais de 3.000 mulheres enviaram suas fotos sob frases como "nós não somos suas concubinas", disse "La Repubblica", que dedica uma página inteira às últimas assinaturas e fotos.
Um site do Facebook oferecendo solidariedade a Bindi atraiu 2.000 membros, enquanto mulheres de várias profissões, de jornalistas e atrizes a modelos, saíram em sua defesa.
Por sua parte, Berlusconi ofereceu uma desculpa fingida e disse que o comentário foi "uma piada" em "um momento de desapontamento".
Essa não é a primeira vez que Berlusconi fala da aparência de Bindi. Criticado por sua mulher por indicar mulheres bonitas para as eleições europeias deste ano, Berlusconi reclamou: "O que há de errado elas serem bonitas? Não podemos ter só Rosy Bindis".

Um comentário: