23.9.09

Aluno picha a escola e é obrigado por professora a pintar a parede

Depois da escola ter sido pintada pela comunidade em um mutirão, um aluno pichou a sala de aula. O que fez a professora? Mandou o aluno pintar a parede. Os pais do adolescente reclamaram da punição. Eles não gostaram de ver a bronca da professora num vídeo gravada por outro estudante.
As imagens gravadas por um dos estudantes mostram o aluno de 14 anos cobrindo as marcas nas paredes. No vídeo, a professora pede que ele tire o boné.

"Tira o boné meu amor, tira o boné”, diz a professora.

Ela chama o estudante de bobo da corte. “Parece um bobo da corte fazendo palhaçada, estragando as coisas dos outros“, diz a professora.

A escola tinha acabado de ser pintada num mutirão de pais, alunos e professores no feriado de 07 de setembro. Foram oito meses arrecadando dinheiro para comprar todo o material. Só as tintas custaram 1.800 reais.

A mãe do aluno achou que o filho foi humilhado. Amanhã faz uma semana que ele não vai a aula e já perdeu três provas. Andréa vai buscar orientação no conselho tutelar.

“Ele errou, tudo bem, mas ele pintou oito salas de aula e a professora botando apelido nele e tirando o chapéu da cabeça dele”, diz Andréa Nunes da Silva, mãe do aluno.

A professora, que também é vice-diretora da escola, dá aulas na escola há oito anos. Ela reconhece que exagerou, mas argumenta que ficou revoltada ao ver perdido o trabalho de toda a comunidade.

“As pessoas estão sendo punidas por pichar, por destruir, então aqui dentro da escola eu tentei fazer a nossa punição”, diz a professora Denise Bandeira.

Mostramos o vídeo para um especialista em educação. “Ela tem coisas certas, mas o modo como ela fez não está bom, que se chame ele a parte, que se converse com ele e até a decisão de ele recuperar o patrimônio, de ele pintar pode ser boa, mas ele tem que estar consciente de que ele estragou e ele pode não estar”, diz Fernando Becker, professor.

No vídeo, a professora aparece ainda pedindo o apoio dos alunos para manter a escola limpa, sem lixo e pichação.

“Ô pessoal, na boa, ajudem a cuidar”, diz a professora.

“Comecem a denunciar: "professora, eu vi". Olha a diferença dessa escola agora", continua a professora.

A secretaria de educação do Rio Grande do Sul informou que o caso vai ser investigado.
A atitude da professora foi perfeita. Depois do trabalho que a comunidade teve de juntar o dinheiro para comprar a tinta, num feriado onde muitos podiam descansar e foram ajudar a pintar para o bem estar dos própios alunos, chega um marginal desses e picha a escola. Além de pintar ele devia ter ido comprar a tinta e com o própio dinheiro para aprender a dar valor nas coisas. Os pais que não souberam educar se acham no direito de ainda ficarem revoltados? Na hora de pichar aposto que ele não ficou escondendo o rosto com boné, que alias não deve ser acessório do uniforme escolar. Poderiam avisar a este Bobo da corte que a cabeça não é feita só para segurar o boné. Infelizmente esse é o dia dia dos professores no Brasil, além de mau remunerados tem que aguentar alunos desse tipo.

7 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Também apoio a professora nesse caso: é preciso autoridade na escola, gente!

    ResponderExcluir
  3. Achei corretissima a atitude da professora!!!
    Sou aluna e acho que se não houver atitudes como essa, a escola vira um ninho de pessoas que não tem limites! Na minha sala mesmo na semana passada houve um caso em que duas amigas minhas colocaram um sapo morto na bolsa de uma professora, pessoas assim merecem puniçoes mais severas do que a que a professora deu!!
    Devemos saber que temos direitos de não sermos humilhados como foi o aluno, mas, tambem temos a obrigação de não cometermos atitudes de pessoas que não tem noção!!!
    Quero parabenizar a professora eu e todo o pessoal aqui de casa!
    Letícia Cristina de Freitas Nunes
    Antonina-pr
    leticia_cfn@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. Sou professora e o que temos visto é uma crescente permissividade da escola com relação ao aluno. Ele xinga, agride, zomba do professor e nada acontece. A maioria das escolas é omissa, quando deveria disciplinar. A indisciplina é um carro sem freio. A atitude de fazer o jovem reparar seu erro foi corretíssima. Apenas acho que ela "pecou" nas colocações e no fato de ter deixado uma turma zombando.

    Luciana

    ResponderExcluir
  5. Como professora,apoio a atitude da profe Denise ,pois sei muito bem o que é o dia -a-dia nas escolas e que enquanto continuarmos com as leis(ECA) atuais vigentes só estaremos contribuindo para a formação de mais delinquentes neste mundo.

    ResponderExcluir
  6. PARABÉNS, prof. Denise. As pessoas decentes, cidadãos que EDUCAM seus filhos, AGRADEM seu trabalho, esforço e dedicação à educação brasileira. VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHA: você é um símbolo da profissão de professor na atualidade! O futuro lhe fará justiça, se sua Secretaria se acovardar diante da mídia pobre que tem manifestado apoio aos irresponsáveis que pariram aquele menino e que sequer ajudaram na pintura da escola (que, aliás, nem é trabalho de professor...). Sua lição aprendemos: IMPUTABILIDADE JÁ!!! Ao ensinar que há consequências para tudo o que fazemos, a professora está a combater nossa maior vergonha: a impunidade descarada!
    Cleverton - Curitiba - Paraná

    ResponderExcluir
  7. Como podemos acusar quem educa? Como o estado representado pela promotora pode tirar proveito dessas historia. Isto deveria servir de exemplo para o Brasil (moralidade). Não podemos educar dando palmadas, expulsamos deus de nossas vidas. Hoje vimos todo tipo de violência assistimos de Pé e aplaudimos?Os pais posam como vitima! O aluno posa como vitima! Pelo amor de deus chega de tanta impunidade. Chega de deputado e senador brigando na mídia roubando e ninguém faz nada chega de tantos erros. certamente eles não tiveram uma professora como essa parabéns professora pela atitude que outras espelhem em você não retire nada. (desabafo)se fosse meu filho eu faria pior temos que começar a mudar urgente.

    ResponderExcluir