2.7.09

Corinthians Tricampeão da Copa do Brasil

Partida no Beira-Rio termina em 2 a 2 e time alvinegro levanta a taça por ter vencido o jogo no Pacaembu

SÃO PAULO - Pela terceira vez na história, o Corinthians é campeão da Copa do Brasil. Em final mais fácil do que o esperado, a equipe jogou bem e empatou na noite desta quarta-feira a decisão contra o Internacional por 2 a 2 no Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). No Pacaembu, onde há duas semanas aconteceu o confronto de ida, o time alvinegro havia ganhado por dois gols de diferença e por isso levava boa vantagem.Com o título, a equipe do Parque São Jorge se credencia como a primeira representante do País na Copa Libertadores de 2010, ano do centenário do clube, que não disputava a competição continental desde 2006.
A campanha corintiana na Copa do Brasil foi quase perfeita, com cinco vitórias, quatro empates e apenas uma derrota. O time fez 16 gols e levou apenas oito, sendo que em casa não viu suas redes serem balançadas nenhuma vez. Ronaldo, André Santos, Dentinho, Chicão e Jorge Henrique foram os artilheiros, com três gols cada.
O Corinthians já havia faturado a Copa do Brasil em 1995 e 2002. Com três títulos, agora só perde para Cruzeiro e Grêmio , que já levantaram a taça da competição quatro vezes cadaA conquista é a terceira de Mano Menezes no comando do clube. Ele assumiu em dezembro de 2007 e comemorou o título da Série B do Brasileirão em 2008 e do Campeonato Paulista deste ano.
Com o triunfo, o Corinthians ganha tranquilidade para jogar o Campeonato Brasileiro. Após oito rodadas, ocupa a sexta posição, com 11 pontos, e pega o Fluminense na próxima quarta-feira no Pacaembu. O Internacional, vice-líder com 17, encara o Náutico em Pernambuco no domingo.

ARRASADOR
Tudo indicava que a finalíssima desta quarta-feira seria uma das mais emocionantes da história da Copa do Brasil. O Corinthians levava a vantagem de ter vencido a partida no Pacaembu por 2 a 0, mas o Internacional contava com a força do Beira-Rio lotado para mudar o panorama favorável ao adversário.
No entanto, quando a bola rolou, a festa foi da minoria corintiana presente no estádio gaúcho. Nos primeiros minutos, empurrados pelo público, os mandantes tentaram partir para cima, mas encontraram uma defesa sólida, que não deu nenhum espaço.Dessa maneira, como gosta de jogar, nos contra-ataques, o Corinthians começou a levar perigo. Aos 15 minutos, Elias tocou para Jorge Henrique balançar as redes, mas o árbitro corretamente assinalou impedimento.
Mas o time paulista não demorou para criar nova oportunidade e ter um gol validado. Aos 20 minutos, André Santos, que foi desfalque no jogo de ida (estava com a seleção brasileira na Copa das Confederações), cruzou com perfeição para Jorge Henrique, que subiu mais do que a marcação e desviou de cabeça, no canto, sem nenhuma chance de defesa para Lauro.
O gol dos visitantes calou a torcida e abalou os jogadores do Internacional, que pareciam perdidos em campo. E, para piorar a situação da equipe da casa, o segundo gol veio logo depois.

Aos 28 minutos, em troca de passes em velocidade, o Corinthians envolveu a defesa adversária e André Santos apareceu na cara do gol. Com força, ele chutou no alto e mais uma vez venceu o goleiro Lauro: 2 a 0.
A vantagem corintiana praticamente aniquilou as chances do Inter, que precisava fazer cinco gols para levantar a taça.
Na etapa inicial, faltou apenas o gol de Ronaldo, principal contratação alvinegra para a temporada 2009. Aos 36 do primeiro tempo o Fenômeno teve grande oportunidade, na cara do gol e sem marcação, mas mandou a bola em cima do goleiro Lauro.
QUENTE
No segundo tempo, tudo corria tranquilamente e sem grandes emoções até os 25 minutos. O Inter atacava em busca do primeiro gol de forma desorganizada e o Corinthians controlava bem a partida.
No entanto, o gol de Alecsandro, que tinha entrado no lugar de Glaydson, deu novo ânimo ao Inter. Em falha da defesa, ele recebeu livre, na cara do gol, e deu um leve toque na saída de Felipe.
Mas a confusão generalizada teve início aos 29 minutos, quando mais uma vez Alecsandro balançou as redes ao subir mais do que a marcação na grande área. D'Alessandro e William começaram a discutir e o clima esquentou de vez no Beira-Rio.
No meio na briga, o argentino partiu para cima do zagueiro corintiano e foi expulso pelo árbitro. O técnico Tite também reclamou muito e foi excluído. Com um a menos, a reação do Inter esfriou.
Nem a expulsão de Elias, aos 37, fez os mandantes conseguirem exercer uma nova pressão. A partida voltou ao ritmo normal e o time corintiano passou a apenas esperar o apito final do árbitro para festejas.
Aos gritos de 'o Coringão voltou' e 'não para, não para', o Corinthians levantou a taça e voltou a conquistar um título nacional, algo que não acontecia desde 2005, quando foi campeão brasileiro.

Fonte:estadao.com

Um comentário:

  1. corinthians é um lixo e as pessoas fala q é um time se fose time tinha pelo menos em 100 anos tinha pelo menos lenvantado a taça da libertadores isso la é time!!!

    ass:karine palmerense ate morre!!

    ResponderExcluir