24.2.10

Trote nas Universidades

Eu publiquei pela primeira vez essa postagem no dia 12/02/2009, e estou ressuscitando ela, porque na verdade ela nunca morreu, assim como outros temas no Brasil, que por mais que o tempo passe é sempre atual. Nessa segunda dia 22, novamente sete calouros do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos (Unifeb), no interior de São Paulo, foram alvo de um trote violento. Confira o que eu postei há exatamente um ano e 12 dias.
-------------------------------------------------------------------------------------------------

Trote, não existe nome mais apropriado para o tradicional ritual de recepção que os veteranos dão aos calouros nas universidades do Brasil. Afinal de contas, quem trota é cavalo, burro, jumento, jegue e afins... Não sei nem se estou sendo duro demais em fazer esta comparação, pois acho que esses animais não merecem ser comparados com essas pessoas que praticam o trote. Existe uma lenda na qual até eu cheguei a acreditar de que o trote serve para interação dos calouros com os veteranos. Que conversa fiada!!! Onde que o constrangimento de uma pessoa pode levar a interação? Tá certo, existe casos e casos. Pra maior parte das pessoas, esse constrangimento é coisa que passa, mas para outras não é nada fácil ser expostas ao ridículo. Além da violência utilizada em diversos casos. A pouco tempo, durante um trote de estudantes de direito no rio de janeiro um mendigo, que não tinha nada a ver com a história foi agredido por "futuros advogados". Já em Leme, São Paulo um estudante entrou em coma alcoólica ao ser obrigado pelos veteranos a ingerir bebida alcoólica. Outros foram chicoteados e obrigados a rolar em fezes. Já em Santa Fé do Sul, também em São Paulo, duas garotas, uma de 17 e outra, de 18, sofreram queimaduras na pele depois de ter sido atingidas por um liquido (creolina e tíner). Esses são apenas exemplos mais recentes de violência em trotes. O pior é que isso é uma coisa que vem passando geração pra geração, como uma rede. O calouro de hoje, por ter recebido trote quer se vingar futuramente fazendo o mesmo. É preciso quebrar essa rede. Uma atitude sensata e madura, digna de verdadeiros universitários. Não dar trote, ou então optar pelo trote solidário, no qual o castigo dos calouros é simplesmente fazer o bem pra alguém.
Vamos andar para frente, mas sem trote!!!

9 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Na minha faculdade PUC-mg, nao pode trote, eh proibido, aí os veteranos que quererm, eles fazem trote no centro da cidade, aí soh vai quem quer, ng eh obrigado a nada.

    ResponderExcluir
  3. Em Portugal se diz praxe (aa)
    ahaha :P

    e onde moro [coimbra] o espirito universitário é vivido ao rubro, a cidade é sinónimo de tradição académica, as praxes e os ritos são os mais conhecidos do país. E enfim -.-' declarares-te anti-praxe em Coimbra é quase assinar um bilhete em que permites a tua marginalização daí em diante. Sabes que não podes usar o traje académico caso não sejas praxado?

    é ridiculo. se pensarmos bem aquilo não é nem nunca será uma recepção a caloiros mas sim uma forma de humilhar os mesmos e demonstrar superioridade. são tal e qual cães levantando a pata e fazendo o sei xixi para marcar dominio non?:o

    Faz sentido? não creio !

    Praxam meses a fio. E não vou abordar a questão das praxes abusivas sequer... Estou a falar de os fazerem, cantar, dançar e por aí nas horas extra aulas como crianças em creches --' horas e horas confinados às praxes.
    Não bastava a primeira semana onde são sujeitos a porcaria ?? é cabelo empastado é cara pintada ai nossa..

    enfim. há que encarar com sentido de humor --' eu temo pelas praxes x) :S

    ResponderExcluir
  4. * aahahah desculpa agora me ri x)
    sou eficiente: vim ver quem era o meu mais recente seguidor e comentei mais rápido que seu primeiro comentário (a)

    xD

    ResponderExcluir
  5. Seja bem vinda Pejotinha!!!
    Que interesante seu comentario, quer dizer que em Coimbra é quase obrigação se ter a praxe(trote)?
    Aqui no Brasil, a cultura da praxe(trote) é muito forte, mas devido aos ultimos acontecimentos parece que algumas universidades ja proibem o trote dentro das instituições. Mas o que vc disse é verdade, se não houver exagero, o negócio é levar no bom humor, assim como tudo na vida!!!
    Estou muito honrrado com um comentario internacional, volte sempre que quiser,
    Bjos!!!

    ResponderExcluir
  6. sério,
    tejuro
    HOJE tinham vários calouros "trotados" na porta da minha escola, acompanhados dos veteranos, pedindo dinheiro, então foi uma coisa mais saudável, eles estavam sujos de tinta e tal, mas só....
    Mas realmente tem pessoas que exageram loucamente e é lamentável
    u___u

    ResponderExcluir
  7. eu acho isso uma coisa muito paia, ridicula nonsense!

    ResponderExcluir
  8. Acho uma besteira, as pessoas devem ter mais conciência com as coisas. Isso na maioria dos casos acaba prejudicando alguém!!!

    ResponderExcluir
  9. O meu trote do ano passado foi bem saudável. Os veteranos nos sujaram de tinta depois trouxeram salgadinho e refrigerante pra todos os calouros. Eu gostei e aposto que isso interagiu os calouros e veteranos muito mais do que essas exposições constrangedoras.

    ResponderExcluir