18.2.09

Brasileira ferida confessou ter forjado ataque, diz revista suíça

A brasileira Paula Oliveira, 26, que disse ter sido agredida por três skinheads no último dia 9 em uma estação de metrô nos arredores de Zurique, confessou à polícia local que o ataque foi forjado, afirma a revista semanal "Die Weltwoche", da Suíça.
De acordo com a reportagem (que não cita qual a fonte das informações), Paula teria assinado a confissão no último dia 13, quando ainda estava internada no Hospital Universitário de Zurique.
A revista diz ainda que Paula confessou à polícia que não estava grávida. Na ocasião da suposta agressão, a brasileira havia dito que estava grávida de gêmeos e que, devido aos ferimentos, sofrera um aborto no banheiro da estação. Entretanto, a polícia de Zurique e o hospital que atendeu Paula negam que a brasileira estivesse grávida no dia em que diz ter sofrido as agressões.
Paula foi internada com uma série de cortes no corpo, alguns deles formando a sigla SVP (iniciais em alemão do partido ultradireitista suíço). Entretanto, a perícia suíça também contesta a origem dos ferimentos e diz que ela própria pode ter se machucado (o que a família nega).
A revista sustenta a tese de que Paula teria inventado a gravidez por motivos financeiros. Segundo a reportagem, na Suíça, vítimas de agressões podem receber entre 50 a 100 mil francos suíços de indenização do governo. O veículo diz ainda que a gravidez serviria apenas como agravante para aumentar a indenização.

Gravidez
De acordo com a reportagem, Paula não mencionou estar grávida ao ser atendida pela primeira vez por um ginecologista do Hospital Universitário de Zurique, onde ficou internada até esta terça-feira (17).
Segundo a revista (que entrevistou o médico ginecologista que teria atendido Paula, mas cuja identidade não foi revelada) ao chegar ao hospital, a brasileira não disse estar grávida. De acordo com o médico, a suposta gravidez só foi mencionada por Paula no segundo atendimento médico.
Em entrevista à Folha Online o promotor Marcel Frei disse que a brasileira pode ficar presa por até três anos ou pagar uma multa, se for considerada culpada pela Justiça suíça de ter induzido a autoridade judiciária ao erro. O Tribunal de Zurique já atribuiu um advogado à defesa da brasileira.
Fonte: Folha
Opinião:
Essa história já tá dando pano pra manga!!! Além disso, serve de exemplo de como a gente não pode ser precipitado ao tomar partido em algum acontecimento. Assim que a imprensa noticiou este fato, fiquei indignado e até pensei em postar sobre o Fanatismo de facções, doutrinas, grupos religiosos etc (ainda pretendo postar sobre tal assunto). Mas pelo destrinchar dessa história, muita coisa ainda vai ser revelada. Para mim ainda existe muitas perguntas sem respostas:
. Normalmente todo metrô tem câmeras de segurança, mas nenhuma imagem ainda revelou indícios do fato.
. Pelo que é noticiado, a Suíça até que é um País tranquilo em relação este tipo de acontecimento.
. É estranho os ferimento ser somente superficial.
Mas que tudo seja esclarecido e que a justiça seja feita, só que se Paula tiver realmente forjado o ataque, acho que o lugar dela não é na cadeia e sim no Hospício!!!

Um comentário:

  1. Eu já não sei mas o que pensar sobre tudo isso. Cada hora é uma informação nova... Não se sabe se o governo suiço está tentando manipular as informações através da mídia para manter a boa visão da Suiça aos olhos dos estrangeiros; ou se a brasileira é realmente uma caloteira atrás de dinheiro; ou se esses neo-nazistas procuraram e ameaçaram ela após o destaque que a notícia obteve... Enfim, é melhor esperar mais um pouco e ver o desenrolar dos fatos.

    Espero sua visita:

    BLGO MENTE CUCA
    http://mentecuca.blogspot.com/

    Grande abraço e parabéns pelo blog ;)

    ResponderExcluir