2.11.09

Piores trapaças do mundo do esporte

Ganhar a qualquer custo às vezes tem um preço alto. O jornal inglês The Sun resolveu fazer sua lista das piores trapaças da história do esporte. Apesar de muitas terem ficado de fora, a prioridade do tablóide foram as trapaças do pior tipo, daqueles esportistas que não conseguiriam vencer através de meios lícitos, portanto tentam trapacear sem sucesso. Até o brasileiro Rivaldo apareceu na lista inglesa, por ter simulado agressão na Copa de 2002. Exagero? Veja a lista:

- Sergio e Fika Motsoeneng: os irmãos gêmeos sul-africanos se "revezaram" na Ultramaratona Comrades de 1999, de 89 quilômetros. Enquanto um largou, o outro o esperava em um banheiro no meio da maratona para receber o chip e terminar a prova individual. "Eles" terminaram em nono lugar e ganharam uma premiação em dinheiro, mas a farsa foi revelada por um jornal, que tinha fotos do suposto atleta começando a prova com o relógio em um pulso e terminando em outro, além de alguns arranhões no joelho do irmão que terminou.

- Ben Johnson: o canadense se destacou quando conseguir cravar o recorde mundial dos 100 metros rasos nos Jogos Olímpicos de Seul-88. Entretanto, o atleta perdeu a medalha de ouro depois do exame antidoping, que deu positivo para a substância proibida estanozolol.

- Seleção espanhol paraolímpica: A seleção de basquete da Espanha venceu a disputa nas Paraolimpíadas de Sidney-2000. No entanto, foi descoberto logo após que dez integrantes do time não contavam com deficiência mental alguma. Como punição, a medalha de ouro foi retirada dos espanhóis.

- Boris Onishchenko: o atleta russo de pentatlo fez uma trapaça inacreditável na prova de esgrima, nos Jogos Olímpicos de Montreal-76. Ele foi desclassificado por esconder um dispositivo elétrico em sua espada que havia lhe dado pontos sempre que ele apertava um botão.

- Flavio Briatore: o chefão da equipe Renault, de Fórmula 1, teria mandado Nelsinho Piquet bater de propósito no GP de Cingapura, em 2008, para beneficiar Fernando Alonso.

Completando a lista dos 10
- Dean Richards: neste ano, o treinador de um famoso time de rúgbi inglês fez um jogador seu usar sangue falso na boca, para substituir um atleta temporariamente. O rúgbi permite que jogadores machucados sejam substituídos temporariamente por um período máximo de 15 minutos, com o intuito de estancar o sangramento.

- Diego Maradona: depois de se apresentar em forma na Copa de 1994 e marcar um gol "louco", Diego foi pego no antidoping.

- Rivaldo: na Copa de 2002, depois de ser atingido no joelho pela bola atacada pelo turco Hakan Unsal, o meia-atacante brasileiro caiu simulando uma agressão no rosto. À época, ele recebeu uma multa da Fifa.

- Kim Christensen: o goleiro dinarmaquês do Gotemburgo-SUE teria o costume de, nos jogos de sua equipe em casa, arrastar os postes para que a área do gol ficasse cerca de 20 centímetros menor. Entretanto, em um jogo desta temporada, sua artimanha foi percebida pela TV.

10º - Le Tissier: o ex-atacante inglês do Southampton revelou esquema, em 1995, junto com alguns colegas de equipe, de apostar e viciar um esquema de apostas de casas inglesas. O plano deles era fazer a bola sair de campo antes de terminar o primeiro minuto de jogo, quebrando assim a aposta de que a bola aguentaria todo esse tempo sair. Depois de passar a bola para um companheiro que não sabia da aposta, Tissier tentou a todo custo fazer a bola sair, o que aconteceu aos 70 segundos.
Fonte: Yahoo

Um comentário:

  1. Vc se esqueceu de incluir a presepada do goleiro chileno Rojas, no Maracanã, contra o Brasil. Aquilo sim foi uma trapaça e lhe rendeu a exclusão dos campos.

    ResponderExcluir